O que UX e Filosofia têm em comum?

Filosofia e UX andam lado a lado. Talvez você nunca tenha feito esta relação de forma consciente, mas se for um UX Designer*, ao olhar algumas definições, vai perceber que isso já está (ou deveria estar), no mínimo, implícito no seu trabalho:

Definições de Filosofia extraídas do dicionário de português do Google. Elas podem ser ouvidas neste link.

*Refiro-me a UX Design como tudo de UX que cabe a um projeto: Strategy, Reseach, Writing, entre outros. Muitos associam “Design” exclusivamente a estética, quando sua definição é também referente a funcionalidade, ao ato de projetar:

Definições de design extraídas do dicionário de português do Google. Elas podem ser ouvidas neste link.

Como UX Designers entendemos que uma das nossas principais ferramentas é nos despirmos do “eu sei” ou do “eu acho” pra vestirmos o “preciso investigar”. Interpretamos uma realidade não por nosso próprio ponto de vista, mas através de conhecimentos empíricos sobre ela.

Filosofia é o estudo de questões gerais e fundamentais sobre a existência, conhecimento, valores, razão, mente, e linguagem; frequentemente colocadas como problemas a se resolver.

Como poderia um UX Designer não estudar questões como as referidas na definição acima?

… é uma forma de pensamento organizado, conceitual e que tem a capacidade de movimentar o próprio pensamento por meio da identificação e da formulação de problemas, ou seja, a Filosofia é, por natureza, problematizadora, evitando fornecer respostas prontas para as questões levantadas e criando novas questões, novas perguntas e novos problemas que fazem com que o pensamento nunca cesse seu ciclo de existência.

Imagem mostra o retrato pintado de René Descartes, com fundo escuro

René Descartes, um dos filósofos precursores do movimento racional-científico, considerado o pai do racionalismo, defendia a tese de que a dúvida era o primeiro passo para se chegar ao conhecimento.

Até mesmo as palavras que utilizamos importam, pois nos ajudam não somente a entender problemas (onde elas são cuidadosamente escolhidas para a formulação de perguntas, para não enviesar respostas) como também transitar por empatia, comunicação adequada com cada usuário e o desenvolvimento de uma experiência positiva para ele, de forma que conclua o que almeja e se sinta confortável ao utilizar nosso produto. Olha a importância do UX Writing aliado também à Filosofia.

O que fazemos nós, UX Designers, senão projetar de forma estruturada, a fim de entender os reais problemas e dores dos usuários, para propor soluções e entrar em um looping contínuo de criar novas perguntas e identificar novos problemas, porque um produto nunca termina?

📝 Mito & UX

imagem mostra a palavra “philosophy” em preto, sobre uma textura branca

Muito utilizado na filosofia, até mesmo o “mito” parece ter, na sua definição, semelhanças* com UX.

É sobre contar uma história de forma atraente e didática, com a finalidade de lembrarmos e apresentarmos às pessoas uma ideia sobre algo. É uma narrativa de caráter simbólico-imagético. Não soa familiar?

Assim fazemos com as Personas, Jornadas e Storytelling: criamos uma história simbólica, que representa o perfil e a experiência do usuário.

*não estou dizendo que são a mesma coisa — de forma alguma! — mas há uma interseção interessante aí.

🗣 Dialética de Platão & UX

Imagem mostra estátua de Platão com fundo rosa e raios amarelos

Também muito mencionada em filosofia, a dialética é um método de diálogo que assume diversos significados em correntes filosóficas diferentes.

Conforme Simon Blackburn (filósofo inglês), a dialética de Platão é “o processo de extrair a verdade por meio de perguntas destinadas a abrir o que já é implicitamente conhecido, ou de expor as contradições e confusões de posição de um oponente.

Karl Popper afirma que a dialética é a arte da intuição para visualizar os originais divinos, as formas ou ideias, de desvendar o grande mistério por trás do comum mundo das aparências do cotidiano do homem.”.

🤔 Pra que debater tudo isso?

Uma vez que trazemos à tona a consciência desses pontos, adquirimos uma nova fonte para alimentar nossos conhecimentos e nos aprimorar como profissionais.

Estudar e entender mais sobre Filosofia pode ser um caminho bem interessante para enraizar ainda mais determinados conceitos de UX, entender mais sobre palavras e trazer mais repertório para os nossos projetos.

Se você é UX Designer e sempre gostou de Filosofia, pode estar percebendo agora que tudo faz sentido, inclusive seu amor por UX. Se nunca gostou de Filosofia, dê-se a oportunidade de investigá-la com outros olhos agora, porque se você ama UX, corre filosofia nas suas veias!

💭 Reflexão (hora de filosofar rs!)

Existe um mito de Platão que, ao meu ver, ilustra de forma muito clara algo fundamental que nós, UXers precisamos ter sempre em mente, desde o início de um projeto.

Neste primeiro momento, deixo a frase acima como uma sugestão de exercício e reflexão, para você tentar descobrir sobre qual mito estou falando, e convido-lhe a interagir comigo a respeito disso!

Vamos trocar ideias, analisar juntos?! Se eu falar de cara em qual mito penso, talvez enviese e bloqueie um processo através do qual você pode trazer outras possibilidades que eu não havia pensado! O comentário não precisa ser apenas sobre esse mito. Qualquer observação que você tenha a fazer, opinião, ponto de vista é relevante pra enriquecer esse assunto. Não tem certo ou errado e, mesmo que você não saiba nada sobre filosofia, com este artigo já temos um ponto de partida: não se acanhe pra falar o que vier à mente, o objetivo aqui é pensar alto, sem julgamentos!

✨ Conclusão

Entender o ser humano, seu comportamento, suas experiências, sua semântica, o que pensa, sente e fala, seus questionamentos, suas vontades, necessidades, dores. Estamos falando de Filosofia ou UX Design? Ambos!

Sou uma UX Designer completamente apaixonada por buscar soluções que estejam de fato baseadas nas reais necessidades do usuário.

Sou uma UX Designer completamente apaixonada por buscar soluções que estejam de fato baseadas nas reais necessidades do usuário.